domingo, 15 de abril de 2012

PARE, OLHE, E PENSE





                                    Por aqui passam trens. Passam?

                                    Que trens? Trem-saudade? Trem-engabelação?
                                    Que fim levaram os trens
                                    (que hoje já não passam mais)
                                    carregados, ufanados com os frutos
                                    do suor dos filhos deste chão?
                                    Descarrilaram, soçobraram com os projetos
                                    neo-liberais?
                                    Pois enquanto por aqui passavam trens
                                    (que hoje já não passam mais)
                                    nas estradas não havia esse horror
                                    - tão ao gosto dos telejornais -
                                    de famílias soterradas
                                    sob carretas colossais.

                                    E essa tristeza, esse abandono,
                                    Obedecem cláusulas contratuais?
                                    Pare, olhe, e pense:
                                   

                                    Quem ganha, quem perde,
                                    quem chega, quem parte,  
                                    quem chora, quem ri,
                                    se trens como antes
                                    já não passam mais por aqui?...